domingo, 3 de agosto de 2008

VIVA A ALEGRIA!


Das coisas que vivi, de tudo que senti

De tudo que passei, um algo eu aprendi.

Lugares que passei, pessoas que encontrei

Momentos que sorri, lembranças eu guardei.

No hoje que estou um outro Ser,

sei que sou tristeza ou alegria, não importa,

a cada dia pedaços de onde estou...

De todos que encontrei a todos dediquei

um grande verso de Paz,

que o Amor sempre me traz.

Sorrisos lindos eu vi,

grandes lágrimas também senti,

Não importa qual a emoção, mas sim

abrir o coração.

Na grande Obra da Vida, a grande técnica aprendi

guardar um pedaço de tudo que senti:

Da Tristeza tirei a lição,

Da Alegria a emoção,

Da Ausência a Saudade,

Da Presença a Felicidade.

E hoje eu já sei que a cada dia terei

A chance de ser feliz se me tornar um eterno Aprendiz.

A soberba e o orgulho perdi

Sem tristeza deixei partir

Aquele Eu tão maior

Que eu sabia Ser tão de cor.

Hoje homem posso falar

Que o grande segredo do Amor

É amar cada vez mais

Sempre de forma voraz.

Deixar passar o que for de mal

Fazer da vida um carnaval

Onde tudo eu possa fazer

Isto sim é viver.

Agora já posso parar

Aqui escrevi o que queria

A todos quero falar:

VIVA A ALEGRIA!!!


Autor: Marcos Antonio de Oliveira


3 comentários:

Eduardo disse...

Que grande barato esta poesia de alegria e bem-saber-viver! Tá vedno só como vc tem e precisa disponibilizar estas suas pérolas para que nós, internautas, sedentos de coisas legais, possamos usufruir com vc destas palavras?
Me amarrei, Marcos!
Assim como muitos outtros, que, sem querer ou propositalmente tb lerão!
Parabéns!
Muito show de bola mesmo!
Continue!
Please!
Abrações!
Edu

sp disse...

"Não importa qual a emoção, mas sim
abrir o coração".

É simples mas verdade!

Um abraço.

Luciano Alvarenga disse...

Olá Marcos. Espero que esrja bem. Gostei de ler e só agora me dei conta "de que vivíamos momentos completamente diferentes" naqueles anos em que nos conhecemos e que só agora com seu comentário em meu site, me dei conta. Aqueles foram anos maravilhosos, estava me descobrindo, conhecendo o mundo, percebendo fragilmente que a minha vida se esbarrava nas dos outros e eu não sabia como lidar com aquilo. Tenho saudades de PAraibuna, do frio, do café, da calçada da Igreja, da praça, da festa de Santo Antonio que ue nunca mais fui. Fiquei contente de encontrá-lo em minha home, mais ainda que tenha gostado. Espero que esteja com saude e com esperança. Sorte e a gente se Vê. Luciano Alvarenga